gt_impacto

O GT Instrumentos Financeiros e Investimentos de Impacto tem como objetivo alavancar capital para modelos de negócio que atendam a necessidades sociais por meio de instrumentos financeiros inovadores.

Constituído por três subgrupos para o desenvolvimento de trabalhos, o GT Instrumentos Financeiros e
Investimentos de Impacto trabalha com as frentes temáticas Blended Finance, Diversidade no Sistema
Financeiro; e Acesso a Capital por Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs).

 

Esse GT atua para promover transparência e equidade no mercado de capitais e no acesso a produtos financeiros; contribuir para o acesso a capital por micro, pequenas e médias empresas; e promover ambiente favorável à criação de estruturas financeiras que reúnam capital público, privado e filantrópico para investir em negócios de impacto no Brasil e para pilotar instrumentos financeiros replicáveis.


Subgrupo Estruturas de Blended Finance:

  • Impacto esperado: ampliar a oferta de recursos e promover ambiente favorável para a criação de instrumentos de investimento que reúnam capital público, privado e filantrópico para investir em negócios de impacto no Brasil.
  • Temas abordados: desafios regulatórios, contratuais e de governança para a criação de veículos de investimento que sejam capazes de receber capital público e privado para investimento em impacto social.

Subgrupo Diversidade no Sistema Financeiro:

  • Impacto esperado: ampliação da diversidade na administração de empresas listadas e maior disponibilidade de produtos financeiros ou ferramentas relacionadas à promoção da diversidade (gênero, raça, idade e competências).
  • Temas abordados: mapeamento, fomento e apoio à transparência e a produtos financeiros que fomentem a equidade de gênero, raça, competências, orientação sexual e/ou idade.

Subgrupo Inovação Financeira para Acesso a Capital por Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs):

  • Impacto esperado: disseminar o uso de instrumentos de acesso a capital por Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) e ampliar a visibilidade de soluções inovadoras que contribuam para isso.
  • Temas abordados: instrumentos inovadores via mercado de capitais, crédito e garantias, com especial olhar para o papel de atores chave, como Fintechs, Reguladores, Sistema de Fomento e Sistema Cooperativo.

O GT Instrumentos Financeiros e Investimentos de Impacto é composto por entidades de diversos setores. Confira:

AgeRIOaliançabancoobbasementbemteviBRQBTGPactualbarcellos tucunduvaclimate venturesdinamoendeavorImpact HubInstituto-IguamoedanaturaNEESsTone percentPIPERODHIUMsalumSistema BSUSEPtrêVoxwater.orgwright capital

 

Também Participam

30% Club, ABRAFIBRAS, Ação Jovem, Aggrego, ANBIMA, Arns de Oliveira, Banco BS2, Banco Santander, BMA Law, BNB, BNDES, Bradesco, Brasfi, BTLaw, BVM12, Caixa Econômica Federal, Candido de Oliveira Advogados, Captable, Cescon Barrieu, CFA Society, Citi Private Bank Brasil, Comportamental Consultoria, Consórcio do Nordeste, Consulado Britânico, Conta Black, Converge Capital, Dima, Endeavor, Equity, Ernst Young, Firgun, Fomento Paraná, Fundo Vale, GIZ, Grana Preta, i-Care, IABS, ICE, Impact Bank, Insper, Instituto Votorantim, Ipea, IVPC, JGP, KPMG, Kria, Latimpacto, Lefosse Advogados, Mauá Investimentos, MCM Corporate, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Ministério de Infraestrutura, Ministério do Desenvolvimento Regional, Movimento Black Money, Petrobrás, PGE-BH, PRI, Rio de Impacto, Sicoob, Stone, Tribo, Vert Capital, Water.org, WCD, We Impact, WWF, XP,Yunus Negócios Sociais.

 


Aqui você encontra contribuições e conquistas de destaque referente a este GT. Para saber
mais sobre cada uma delas, clique nos links disponíveis.

 

Novidades do GT

O LAB soma as suas entregas mais uma contribuição, desta vez em autorregulação. As sugestões foram manifestadas pelo Subgrupo Diversidade no Sistema Financeiro, do GT Instrumentos Financeiros e Investimentos de Impacto, em resposta à Audiência Pública n º 01/2022 – DIE da B3, que trata sobre inserção de medidas ASG, com enfoque em aspectos de […] Leia mais

O conceito de blended finance adotado pela OCDE envolve “o uso estratégico de fundos de desenvolvimento (recursos subsidiados) para a mobilização de fluxos adicionais de capital comercial para o desenvolvimento sustentável nos países em desenvolvimento”. Sabendo da relevância do tema, o Laboratório de Inovação Financeira (LAB), por meio do GT Instrumentos Financeiros e Investimento de […] Leia mais

Uma iniciativa de: